O Tribunal do Júri se reuniu na tarde desta quarta-feira (29) para julgar Victor Gabriel Pereira da Silva de 20 anos. Ele foi acusado de matar Mateus Willian de Jesus Cirilo a golpes de faca no dia 28 de maio de 2022 no interior do Parque do Mocambo. Ele e mais uma pessoa que está foragida foram denunciados pelo crime de latrocínio, mas durante o processo, o crime foi passado para homicídio com duas qualificadoras.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, o crime foi praticado por motivo torpe e com recurso que dificultou a defesa da vítima. Segundo a acusação, o motivo do latrocínio foi porque Mateus estava devendo uma quantia em razão de compras de drogas. Após os embates entre acusação e defesa, Victor foi condenado a 14 anos de prisão em regime fechado.

O CRIME:

A denúncia diz que Mateus estava devendo cerca de R$80,00 para um traficante de drogas. No dia 28 de maio, Mateus se encontrou com Victor e Thomas Henrique de Souza Santos. Na oportunidade, ele tirou R$10,00 de uma pochete para comprar um pouco de droga. Nesse momento, os acusados viram que ele possuia mais dinheiro consigo.

Antes disso, Thomas teria dito a Victor que Mateus lhe devia R$80 em razão de uma compra anterior e que iria lhe cobrar. Além disso, segundo a denúncia, Thomas pediu para que Mateus fizesse um “corre” para eles, ou seja, lhe pediu para comprar drogas. Enquanto Mateus foi, Thomas teria dito, “se esse vacilão voltar querendo mais e não pagar os R$80,00 a gente vai cobrar ele”.

Veja também

Quando Mateus voltou, eles decidiram ir para o Parque do Mocambo fazer uso das drogas. O Ministério Público diz ainda que em determinado momento, Mateus saiu para buscar mais drogas e os acusados foram comprar cerveja, momento em que combinaram a execução de Mateus. Quando Mateus retornou ao Parque do Mocambo, Victor disse “merece até um abraço” e durante esse abraço ele teria desferido o primeiro golpe de faca no pescoço de Mateus que assustado perguntou “o que está acontecendo? ”

Victor desferiu mais golpes de faca e posteriormente a entregou a Thomas que terminou de executar Mateus com mais golpes. Após isso, os dois evadiram do local levando vários pertences da vítima como forma de pagamento da dívida. Victor foi preso no outro dia e negou que havia participado da execução enquanto Thomas continua foragido.