O delegado de homicídios da Polícia Civil de Patos de Minas, Luiz Mauro Sampaio, avançou nas investigações e pediu a prisão das três pessoas envolvidas no planejamento e assassinato de Lázaro Roberto Borges. Ele foi morto no sábado e o corpo, que havia sido abandonado na zona rural, foi encontrado com marcas de facadas e queimaduras na noite de terça-feira (28).

Veja também

Segundo a Polícia Civil, o crime foi planejado pela vizinha identificada como Clarice. A mulher, que está grávida de sete meses, disse que vinha sendo assediada por Lázaro. Segundo ela, o homem chegou a tentar invadir sua casa e por isso teria planejado mata-lo, em parceria com o namorado Eduardo e com o amigo Gabriel.

A intenção era pegá-lo dormindo, leva-lo para a zona rural para matar e sumir com o corpo. Ocorre que Lázaro acordou e para leva-lo para o carro, Gabriel e Eduardo tiveram que usar a força. Depois de agredir com chutes e socos, eles amarraram e amordaçaram Lázaro, o colocaram no carro, entre os bancos e levaram para a região das Chácaras das Águas, a cerca de 10 quilômetros do urbano.

No depoimento, Clarice confessou que foi ela quem deu as três facadas em Lázaro. Ela disse que a intenção era também cortar sua língua e os órgãos genitais, mas que desistiu e apenas chutou as partes íntimas da vítima. Foi ela também que levou o litro de álcool para pôr fogo no corpo. Depois disso, eles voltaram para casa, limpara o carro e a faca usada no crime, mas deixaram as marcas de sangue na casa de Lázaro.

Segundo o delegado Luiz Mauro Sampaio, essa versão contada por Clarice e confirmada por Eduardo, ainda está sendo investigada. Ele também disse que vai pedir a prisão dos três envolvidos identificados até agora. Clarice e Eduardo chegaram a ser presos na noite de terça-feira pela Polícia Militar, mas como o crime aconteceu no sábado, o delegado que estava de plantão considerou que eles estavam fora de flagrante e o casal foi liberado.