349669 2216 Ok
Publicado em 28/04/2017
Compartilhe:

Votorantim envia nota explicando secagem de quilômetros do Rio Santa Catarina em Vazante

A empresa reconhece que parte da secagem está dentro da propriedade da empresa e fala que a estiagem foi o que agravou o problema.

Vários quilômetros do rio se secaram com a depressão.

A Empresa Votorantim, que trabalha com a extração de minerais no Município de Vazante, enviou um anota na tarde desta sexta-feira (28) se posicionando a respeito da secagem do Rio Santa Catarina, ou Rio Catirina, como é conhecido, divulgada pelo Patos Hoje nessa quinta-feira (27). Leia mais! A empresa reconhece que parte da secagem está dentro da propriedade da empresa e fala que a estiagem foi o que agravou o problema.

Moradores relataram que uma dolina, uma espécie de buraco, se expandiu dentro do rio o que acabou engolindo a água do manancial. Vários quilômetros do rio se secaram com a depressão. Moradores suspeitam de que o trabalho feito pela Mineradora é que pode ter causado o problema. A reportagem teve uma grande repercussão em toda a região e nesta sexta-feira (28) a empresa se posicionou sobre o assunto. Veja a nota da Votorantim:

Nota de esclarecimento da Votorantim Metais 

“Em função do período de estiagem que aflige todo o noroeste mineiro e parte da região central do Brasil, o rio Santa Catarina secou em cerca de 5 km. A Votorantim Metais confirma que 2,5 km se encontram no interior de sua propriedade.  Monitoramentos técnicos demonstram que no período hidrológico julho/16 - junho/17, o registro de chuvas é de apenas 55% da média alcançada nos últimos 10 anos. Tamanha irregularidade de chuvas agrava ainda mais a baixa disponibilidade hídrica do rio, acarretando trechos secos.

 Quanto aos abatimentos de solo, eles são característicos do ambiente cárstico em que Vazante está situada, com a ocorrência de dolinas naturais. Especificamente em relação àquela mencionada na reportagem, ela pode se agravar em função dos processos erosivos atuantes no leito, sem interferência do processo minerário.

 A Votorantim Metais informa, ainda, que a qualidade da água lançada no rio se encontra dentro de todos os padrões de normalidade definidos pelos órgãos ambientais, que fiscalizam regularmente as operações da empresa e estão acompanhando todos os processos relacionados ao Rio Santa Catarina. A Votorantim reforça seu compromisso de preservar o meio ambiente nas regiões onde opera, atuando de acordo com a legislação e regulamentos técnicos. Adicionalmente, a Companhia investe em aplicação de novas tecnologias, pesquisas, estudos e ações de melhoria e mitigação de riscos e impactos de decorrentes de suas operações.”

Autor: Farley Rocha

Rovan - Super Banner Rodape - inicio 11-07-17
Postado em 28/04/2017
Compartilhe:

36 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Josiane | 6 meses, 3 semanas atrás

    Esa nota merece uma frase: " sem comentários por achar 20 mil hab uns bobos"....lamentável tal postura.

    2 0 Responder

  • Calanga | 6 meses, 3 semanas atrás

    Esse Ministério Público está sendo uma decepção. Foi criado pra defender a sociedade, mas é um serviçal daqueles que detém poder econômico e político. Essa é a verdade! Se acabar com o MP, a sociedade não vai ter prejuízo nenhum. Não faz nada!

    4 0 Responder

  • Karlin Jair | 6 meses, 3 semanas atrás

    É sério o problema!

    7 0 Responder

  • Carolina | 6 meses, 3 semanas atrás

    Vocês vão ver ainda muita seca na região. Aonde tem soja, não sobra nada de água. Essas irrigações acabam com tudo. Esse modelo de exploração agrícola já era. Uma pessoa lucra muito e o resto da sociedade paga o pato. Daqui uns dias Varjão de Minas, Presidente Olegário etc não terão água pra beber. Essa é a verdade. Os fazendeiros da soja acabaram com as nascentes e cursos d'água e o MP fica caladinho. Só mexe com coitados.

    13 0 Responder

    sergio - 6 meses, 3 semanas atrás

    A seca de Vazante é só nas mediações da empresa,rio na parte acima da ponte da entrada da cidade nunca secou e abaixo da empresa volta a correr normalmente,graças ao funcionamento de bombas ,que formam o rio de novo! Essa seca é provocada pela ganancia desrespeito e ambição desenfreada.

    13 0

  • sergio | 6 meses, 3 semanas atrás

    E o pior de tudo isso é que as autoridades que deveriam ser competentes,andam como cavalos de carroceiros,com olhos parcialmente tapados,não enxergando o que deveria enxergar!

    19 0 Responder

  • sergio | 6 meses, 3 semanas atrás

    kkkkkk,só rindo mesmo,dessa explicação tão hipócrita,caminhões dessa empresa trabalha 24 horas tentando esconder do povo e da mídia essas dolinas,e vem agora dizer que não tem culpa,se não for culpado de um problema ,porque vc tentar esconder ou resolver de graça?Que palhaçada,além do mais ,este problema começou na área da empresa e se expandiu de forma catastrófica,levando a empresa a comprar varias fazendas da região,fornecer água aos que não venderam e ainda mudou a vila de funcionários de um dia para o outro,será porque?Talvez os funcionários não estivessem se sentindo confortáveis e exigiram casas novas!KKKK ninguém acredita nessa palhaçada.

    16 1 Responder

    Namda - 1 semana, 2 dias atrás

    Precisamos de ajuda à cidade vai acabar Imóvel já perdeu todo o valor

    0 0

  • Gestor Ambiental Amigo das AGUAS | 6 meses, 3 semanas atrás

    O ABATIMENTO DE SOLO NO MUNICÍPIO DE VAZANTE-MG O caso da mineração em Vazante é o exemplo do absurdo em termos de impunidade, de falta de visão econômica, social e ambiental, além de ser um exemplo da distância entre os discursos e as práticas de uma empresa, que não enxerga que a tragédia ambiental e social que promove, cada vez mais se transforma num desastre econômico. E, em última análise, num grande e vergonhoso absurdo. O aparecimento de centenas de crateras, com até vinte metros de profundidade, tem deixado perplexo os moradores de Vazante, Minas Gerais, onde as conseqüências já são críticas. O problema ambiental está associado à mineração subterrânea. As rochas carbonáticas, nesta região, são importantes pelo aspecto econômico (calcário, britas, minério de ferro e zinco) e também pelas reservas das águas subterrâneas no local, que representam um dos principais aqüíferos do país. O rebaixamento dessas reservas, causado pela exploração de minério no subsolo, têm tornado vulnerável a qualidade ambiental do Município. O problema do abatimento de solo, destacando o dolinamento e a contaminação dos cursos d’água, relacionado com o bombeamento da água subterrânea, em Vazante/MG. O que se evidencia na realidade é o descaso das autoridades municipal, estadual e federal com relação à análise da verdade e a tomada de medidas quanto aos crimes ambientais que são cometidos. O fenômeno do dolinamento é característico de áreas de solo cárstico, sendo uma depressão circular formada pelo abatimento do solo nessas áreas. O diâmetro e a profundidade de uma dolina podem variar de poucos a dezenas de metros. Em Vazante/MG, o problema se agravou ainda mais devido à exploração de águas subterrâneas. A exploração da água subterrânea pela atividade mineradora pode levar ao rebaixamento excessivo do nível desses aqüíferos, causando uma depressão na superfície. A empresa mineradora, sob suspeita de provocar o problema, defende-se argumentando que o abatimento de solo é um fenômeno geológico natural, devido às rochas calcárias ou dolomíticas que constitui o solo de Vazante ser solúveis em água. As dolinas são fenômenos naturais, mas podem ser induzidas artificialmente pela exploração em excesso da água subterrânea por onde se dá sua drenagem. No geral, possuem água subterrânea e seu nível reflete o sistema aqüífero, podendo subir ou abaixar o seu nível de água, A exploração da água subterrânea poderá levar a um rebaixamento excessivo do nível hidrostático, causando colapsos na superfície. Quando o colapso ocorre em áreas habitadas, o fenômeno se transforma em catástrofe, com potencial de letalidade e perdas econômicas. Outra característica importante de áreas de rochas carbonáticas é a ocorrência de abatimento de solo. Em áreas ocupadas, é preciso que sejam tomadas algumas precauções para que o fenômeno não seja acelerado pela intervenção humana, tal como, exploração de águas subterrâneas, Na exploração de recursos hídricos subterrâneos, sobretudo, dos aqüíferos cársticos deve-se considerar a fragilidade, os riscos de contaminação e a explotação problemática quanto a recarga e descarga rápida. A explotação não planejada pode esvaziar as cavidades e rebaixar rápido e excessivamente o lençol freático, ocasionando os conseqüentes abatimentos subterrâneos, superficiais e até secamento de rios e poços artesianos. Desde 1990, Vazante tem convivido com o constante aparecimento de dolinas. compreende-se que o fenômeno acontece devido à retirada da água subterrânea. à medida que as explorações vão avançando, uma quantidade maior de água é drenada, constatando que, nas condições geológicas de Vazante, o esgotamento da água subterrânea tornou-se um sério problema. os problemas ocorridos em Vazante estão atribuídos a uma explotação excessiva do aqüífero, que provocou modificações no equilíbrio piezométrico do sistema, causando o rápido rebaixamento do lençol freático livre. Dentre as conseqüências encontram-se o dolinamento, a desertificação do solo e agressão aos recursos hídricos. Sobre Vazante/MG, é preciso dar destaque a importância ecológica do Município. Na biodiversidade de Minas, a cidade está assinalada como uma área de “importância ecológica extrema”, considerando o município como um centro de atração turística de grande valor ambiental e para estudos de caráter científico. Suas grutas e cavernas se colocam como as maiores do Estado. Vazante está sobre um dos maiores lençóis aqüíferos do Brasil No que diz respeito ao abatimento de solo em Vazante, na análise tal fato se deve à absurda escala de bombeamento das águas na lavra subterrânea da mina da Votorantim Metais, que afetou a sustentação de todo solo da região, pois o bombeamento deixa um vácuo no subsolo, por entre as formações calcáreas, levando o terreno da superfície a ceder abruptamente nas áreas mais sensíveis. acordo De com a Revista Nosso Grupo, do Grupo Votorantim, fica esclarecido: Vazante está numa região rica em lençóis freáticos. Com isso, alguns túneis cortam rios e reservatórios subterrâneos, jogando milhares de litros de água para a mina. Há até cachoeiras lá dentro. Essa água é escoada por canaletas e depois bombeada para fora da mina (onde é tratada e depois despejada nos rios da região). (...) A mina de Vazante é uma das maiores com vazão de água bombeada do mundo (2006, p. 17). Em razão desse fato, a empresa, para manter a frente de mineração, se viu obrigada a realizar, de modo permanente, uma operação de drenagem e bombeamento de água no interior de suas minas. A formação geológica predominante do solo são rochas porosas do tipo cárstico (calcáreo). Essas rochas formam reentrâncias e, quando se encontram sobre grandes aqüíferos, como é o caso, nelas se formam bolsões de água que sustentam a superfície. Quando essas águas são bombeadas, no processo de sucção na frente de mineração subterrânea, reduz-se a resistência ao peso da superfície, que é tragada para os bolsões secos, formando as dolinas.. ACORDA NAÇÃO BRASILEIRA ACORDA ESTADO DE MINAS GERAIS ACORDA MEUS QUERIDOS CONTERRANEOS o minério acaba a empresa fecha as portas e ficaremos no prejuízo.

    25 1 Responder

    Karlin Jair - 6 meses, 3 semanas atrás

    É muito ver um esclarecimento de pessoas que realmente entende do assunto! Parabéns Gestor das Águas!

    10 1

    Ex-tesoureiro do PT - 6 meses, 3 semanas atrás

    O capitalismo corrompe não só o estado como também, a religião, a dignidade humana e, no caso noticiado, sobrepõe a mãe natureza de forma perversa e obscura. Enquanto formos tolerantes a corrupção estaremos cavando a nossa própria sepultura ou seja, a nossa própria dolina!

    2 1

  • Gato por Lebre | 6 meses, 3 semanas atrás

    Me recordo o caso de Mariana...!!! Cuidado cidadãos de Vazante. Voces vão acabar em uma dolina. Dolina da mineradora. Vão todos cair lá no Japão!

    14 0 Responder

  • Juan | 6 meses, 3 semanas atrás

    Ora, se a empresa bombeia 13 mil m3 por h e se a agua sustenta o solo, como pode ter a cara de pau de falar de erosão, sendo que esta dentro da propriedade da empresa, segundo as fotos e video da reportagem? Por isso essa empresa não tem relação com a comunidade. Se acham espertos, mas são estúpidos por pensar que tem alguém em Vazante que acredita nisso. Realmente são 5km. Começa dentro dos limites da empresa e termina depois. Talvez seja erosão as terras que ela compra na região, verdadeiros formigueiros. Alguém sério poderia falar a verdade. Chamar dr argemiro, unico com aquilo roxo que teria coragem pra falar a verdade e ganhar apoio da cidade, esse gerente ai o povo nem conhece. Ou explicar porque os outros rios longe da empresa não secaram? Seca e erosão so atua nas imediações da empresa? AGORA atuar conforme a legislação é o mínimo que se espera, isso é OBRIGATÓRIO não é mérito...nos poupe!

    20 1 Responder

  • Edio Batista da Fonseca | 6 meses, 3 semanas atrás

    Esta Votorantim só destroi o meio ambiente causando danos irrecuperáveis...!!!!

    21 0 Responder

carregar mais comentários