349669 2216 Ok
Baile do Hawaii
Publicado em 19/06/2017
Compartilhe:

Escola municipal de Patos de Minas recolhe livro com história de pai que pretendia se casar com a filha

O Ministério da Educação confirmou que vai recolher as obras de todas as escolas.

Silésia Pinheiro de Arvelos - Diretora da Escola Municipal Maria Inez Rubinger de Queiroz

Um livro enviado pelo Governo Federal para as escolas públicas tem causado uma grande polêmica. Profissionais de Patos de Minas criticaram algumas histórias do livro e resolveram recolher a obra. Um dos textos fala sobre um pai que pretendia se casar com a filha mais bela. Ela se recusa e ele lhe causa intenso sofrimento. A jovem acaba morrendo, sem ninguém para lhe salvar ou punir o agressor. O Ministério da Educação confirmou que vai recolher as obras de todas as escolas.

A diretora da Escola Municipal Maria Inez Rubinger de Queiroz, Silésia Pinheiro de Arvelos, informou que o Ministério da Educação enviou três livros com o título “E quem quiser que conte outra história... Enquanto o Sono não vem”, do autor José Mauro Brant. As obras vieram em caixas com outros livros no mês passado.

No entanto, a diretora informou nesta segunda-feira (19) que os professores avaliaram as histórias e entenderam que uma delas particularmente não era própria para os alunos. “A triste história de Eredegalda” fala sobre um rei que pretendia se casar com a mais bela das três filhas. Eredegalda se recusa e acaba sendo torturada pelo pai. Ela ficou sem alimentação e ainda foi trancada em uma torre.

A história mostra que as irmãs e a mãe não puderam fazer nada por Eredegalda porque estavam ameaçadas pelo rei. Por fim, a personagem acaba morrendo, sem a ajuda dos familiares. A diretora informou que a mensagem vai contra os valores da família e, por ser destinada a crianças de 6 a 8 anos, do 1º ao 3º anos escolares, os alunos poderiam ter uma visão distorcida da mensagem. “É a questão dos valores”, ressaltou.  

O casal incestuoso, aquele formado entre membros da família, é algo contrário aos valores da sociedade e também da legislação brasileira. Outra situação é a violência doméstica transmitida pelo texto. Este é um dos problemas vividos pela sociedade de hoje e, em momento algum, houve a ideia de denunciar o agressor ou de lutar para pôr fim àquela situação.

A diretora contou que os livros seriam para ficar à disposição dos alunos nas salas de aula, mas resolveu recolhê-los porque não poderia saber ao certo como eles interpretariam a mensagem. Os profissionais também criticaram outra história do livro. “As nove filhas” mostra uma linguagem também imprópria, segundo a direção. Ele começa com a frase: “Era uma velha que tinha nove filhas”.

Silésia informou que outras escolas da cidade que receberam o livro também decidiram recolhê-lo. O caso chama a atenção porque os livros vieram do próprio poder público após passarem por uma avaliação de profissionais, podendo prejudicar o comportamento dos estudantes. O MEC decidiu que vai recolher os 93 mil exemplares do livro, justamente por causa da abordagem do incesto.

O caso serve de alerta para toda a sociedade. Textos, filmes, desenhos, vídeos, músicas e uma série de outros materiais disponíveis principalmente na internet podem moldar o caráter e os valores das crianças, levando-as a um comportamento nada adequado no futuro.

Imagens atualizado em 19/06/2017 • 11 fotos

Autor: Farley Rocha

Rovan - Super Banner Rodape - inicio 11-07-17
Postado em 19/06/2017
Compartilhe:

49 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Santinhos | 3 meses atrás

    Ilusão os pais e professores acharem que os alunos são santinhos. As crianças de hoje são muito espertas, mais espertas que os pais e sabem muito mais do que eles. E fazem somente o que querem. Não existe mais criança ingênua como antigamente, além do mais, o que é ensinado na escola, entra por um ovídio e sai pelo outro. Só aprendem o que interessa para elas. Os verdadeiros educadores são o Zap, o Face, as novelas de TV, Big Brother, joguinhos on line violentos, Faustão, Silvio Santos, Peppa pig, desenhos animados, bailes de funk. Só coisa de primeiríssima qualidade! :+1: :+1: :+1:

    3 10 Responder

    Santões. - 3 meses atrás

    Então pelo menos a educação deve ser coesa, independente desses filhos de chocadeiras quererem ou não aprender, em um educandário sério será ensinado apenas o certo, abaixo jean whylys e o pt que tornou nossa educação uma bandalheira de micos!

    7 0

  • Arvelos | 3 meses atrás

    EREDEGALDA? Só esse título desse livro já ai fazer uma confusão tremenda na cabeça das crianças!

    4 0 Responder

  • Barão de Itararé | 3 meses atrás

    A censura voltou no Brasil? Em vez de debater vão censurar a obra? Esse censores entendem de quê mesmo? Pergunto de novo: que tipo de censura é essa? Quem sabe educar os filhos são os familiares, o Estado não tem nada a ver com isso não, bando de comunistas!

    5 24 Responder

    I tara ré? - 3 meses atrás

    Com a ignorância não se debate, tolhe-se!! Você adepto do Jean Wyllys não querem ser respeitados, querem que todos sejam iguais a vocês, oque tem acabado com nosso país é essa onda de querer liberdade para tudo, só direito e dever algum, por isto estamos como estamos, vai me desculpar mas nunca vi tanto gay como tem hoje em dia, virou moda, se o cara ou a cara quer ser gay o problema é deles, agora querer embutir isso como normal só atrai mais e mais adeptos por sensacionalismo.

    18 1

  • Perito | 3 meses atrás

    Não tem ninguém fiscalizando essa literatura infanto-juvenil pública? É isso que nossos filhos são obrigados a ler? Santo Deus. Que lixo imundo. Deve ser de algum autor desses amigo do amigo do senador tal ou deputado cicrano, uma vergonha mesmo esse paizinho de m....

    14 2 Responder

  • Junqueira | 3 meses atrás

    Avisa a diretora que na Bíblia tem essas mesmas historinhas. Levítico. Já leu? Tem gente que fica procurando aparecer pra depois se candidatar a vereador e tirar 30 votos. Tenha dó!

    11 21 Responder

    apocalíptico X - 3 meses atrás

    cara, deixa ser junqueira, cê é parente do Guerra Junqueiro, aquele poeta ateu português? ninguém mais lê a bíblia - não como antigamente, eles lêem kardek, alcorão, malafaia, bagavah gitta, horoscopo, são ciprião, madame blavastika, kama sutra, das kapital, zen-budismo, exuísmo, hare krishina, carlos zéfiro etc e tal. mas todos querem um cantinho no paraíso....is the end...e tu quantos votos tivestes? só se for o de castidade, ímpio ignóbil e biltre, cruzeirense!

    3 2

  • Adalberto | 3 meses atrás

    Acho tipo uma falta de vergonha isso. Outro problema é ficarem forçando a barra pra viadagem, querendo ensinar as criança que ser viado e sapatão é normal. Eles merecem respeito, mas eu não concordo tipo com a prática, e ninguém pode forçar isso. :+1:

    15 5 Responder

    Pensador da meia noite - 3 meses atrás

    Falou bem caro leitor no portal. Também não concordo em ficarem puxando pro lado dos homossexuais.

    16 1

    Não precisa - 3 meses atrás

    Não precisa convencer ninguém. O homossexual o é por si mesmo, e gosta de ser. Se o aluno for maxo mesmo, não vai ser uma literatura que vai fazê-lo mudar de opção. A mesma coisa é o homossexual, não vai ser uma literatura que vai influenciá-lo a ser mais ou menos.

    1 0

    nada a ver - 3 meses atrás

    Ser homossexual não tá ligado ao que vc lê ou vê, o homossexual é homossexual porque simplesmente ele é, assim como hétero é hétero pq é. Livros, novelas, filmes etc não forçam ninguém a ser o que não quer ser, e outra, tenho certeza que os homossexuais já leram milhares de livros com romance hétero e nem por isso viraram héteros!!! A questão que se trata no livro dessa matéria, não tem nada a ver com isso, deixa os homossexuais serem felizes em paz.

    1 2

    Indignada - 3 meses atrás

    Sr. Nada a ver, não concordo com vc! As idéias e tendências homossexuais tendem sim a levar uma pessoa hétero a se tornar gay. Exemplo disso são pessoas que namoram homens..depois mudam de idéia...namoram mulheres, volta a namorar homens...verdadeira putaria. Nem sabem do que realmente gostam. E isso se deve a más influências sim! Influência do tudo é normal, tudo pode! Brasil, o país da inversão de valores!

    0 1

  • Flavio | 3 meses atrás

    Esse MEC é uma piada!!!!!

    12 0 Responder

    Maria Sapatao 3 meses atrás

    Comentário removido pelos leitores. Este comentário foi retirado porque recebeu 20 votos negativos a mais que os positivos.

    Flavio - 3 meses atrás

    O governo não investe na Educação. Se tem professores com formação precária, não e culpa deles. Esses ministérios que o Brasil tem e tudo cargo politico. serve de barganha entre os partidos políticos. Não e só ricos nas universidades públicas. tem pobres e afro-brasileiros. O BRASIL E O PAÍS DA PIADA PRONTA.

    7 0

  • russonw | 3 meses atrás

    BOM AMIGOS E UM ABSURDO UM LIVRO DESSE PARA CRIANÇAS , E A POLITICA DA ESQUERDA DO BRASIL , POR ISSO O PAIS ESTA ONDE ESTA ESSES ESQUERDISTAS , QUE VÃO FAZER ISSO NA CASA DELES COM AS FAMÍLIAS DELES E APLICA-SE ESSA POLITICA DOS FILHOS DOS OUTROS NÃO BANDO DE HIPÓCRITAS , VIVA A FAMÍLIA SEMPRE !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    25 2 Responder

    Bolsonaro 2018 - 3 meses atrás

    Politica de esquerda do Brasil???? Russnw em qual planeta você vive? Quem governa o Brasil atualmente é a extrema direita, seu ignorante. Vá estudar historia...

    3 15

    Para o EMBOLSONARO 2018 - 3 meses atrás

    O EMBOLSONARO embolsou 200 ou 300 mil da friboi? Ele tem 30 anos de de-puta-do e nunca fez nada. A não ser levar a família toda pro crime da política.

    8 5

  • Maria Helena | 3 meses atrás

    Na realidade dever- se-ia apurar quem autorizou a publicação de tal "obra" e fazê-lo ressarcir toda a verba nela gasta. Outra averiguação a ser feita é quem seria o educador, psicólogo, psiquiatra e outros profissionais envolvidos no processo de aprendizagem e educação de nossas crianças fez avaliação e aprovou tal publicação, deveriam ser banidos da educação. Princípios morais são essenciais na formação da personalidade de todo e qualquer cidadão.

    13 1 Responder

    Salete Silva - 3 meses atrás

    Lembra do "SOMOS EDUCADORAS, mereço respeito" e do "SOU EDUCADORA, merecemos respeito", divulgado nas redes sociais por um ex-Secretário da Administração passada, num período de Greve desses pseudo-educadores? Lembra? Pois é, é o nível da Educação de Patos de Minas - deplorável técnica e linguisticamente falando. Mas a maioria da população sabe as razões disso, só que não pode se manifestar!...

    3 4

  • Cidadão | 3 meses atrás

    Parabéns a direção da escola pela atitude e pela capacitação de seus profissionais. São ações como essa que combatem essa incitação incestuosa que desejam impregnar em nossa cultura. Fico estarrecido com tamanha ignorância dos comentários.

    27 2 Responder

carregar mais comentários