Com dívidas e ação na Justiça, Prefeitura tenta acordo e novo contrato com a Emater

A Emater rescindiu o contrato com a Prefeitura de Patos de Minas em agosto do ano passado.

publicado em 21/05/2019, por Farley Rocha


O contrato foi reenegociado.

O prefeito José Eustáquio Rodrigues Alves recebeu a visita do presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG)  Gustavo Laterza de Deus para tentar um acordo com em torno das dívidas da Prefeitura com a Emater. O presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Patos de Minas, Elhon Cruvinel Borges, participou do encontro na Cidade Administrativa.

A Emater rescindiu o contrato com a Prefeitura de Patos de Minas em agosto do ano passado. A Empresa de Assistência Técnica não vinha recebendo os repasses da Administração Municipal e o caso foi parar na Justiça. E uma proposta de acordo foi oferecida. Segundo o prefeito José Eustáquio Rodrigues Alves, a Prefeitura deve R$ 111.951,00 do ano de 2015. O débito de 2016 era de R$191.916,00, totalizando R$303.867,00. A proposta é de pagar este valor em 18 parcelas.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––

Já a dívida de 2018, no valor de R$48.970,68, deve ser pago em 3 parcelas. No ano de 2017, não havia débitos. De acordo com o prefeito, é importante para o município que a Prefeitura e a Emater–MG trabalhem em conjunto. “Parcerias firmadas entre empresas e o município geram resultados efetivos para o desenvolvimento da nossa cidade”, ressaltou.

Autor: Farley Rocha Postado em 21/05/2019
Compartilhe:

25 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Frouxo | 3 semanas, 4 dias atrás

    Vendo essa foto, pode-se explicar a situação da cidade.

    1 0 Responder

  • Lagoense Feliz | 3 semanas, 4 dias atrás

    Em minha modesta opinião, a EMATER deveria disponibilizar um agrônomo pra atender minha lavoura de bananas, pepinos e cenouras. Estão muito mirrados e por vezes murchos. Não sei quais as causas, considerando que cuido direitinho e sou muito cuidadoso. Se nada for feito, terei que diversificar e vou pensar em mandioca e nabo.jsf

    0 0 Responder

  • Tiro certo | 3 semanas, 4 dias atrás

    Quem for no papo dessas tecnologias da Emater quebra e vai ter que vender a fazenda pra pagar os investimentos. Se os caras soubessem ganhar dinheiro, não trabalhavam de empregados.

    2 4 Responder

  • É de chorar! Lamentável! | 3 semanas, 4 dias atrás

    Quando a gente olha essa foto, dá pra ver o cabidão de empregos de aposentados riquinhos na prefeitura!

    6 0 Responder

    Turminha de mamador - 3 semanas, 4 dias atrás

    Falta de compromisso e respeito com o dinheiro suado do contribuinte.

    2 0

  • Resiliência | 3 semanas, 4 dias atrás

    A EMATER é só para os grandes produtores em Patos de Minas. O pequeno produtor nunca tem vez. Fui lá várias vezes procurando ajuda, mas nunca encaixavam os nas opções deles. Para os grandes produtores já tem os bancos. Concordo que não precisamos EMATER aqui..

    5 4 Responder

  • J | 3 semanas, 4 dias atrás

    A cidade cheia de buracos, problemas e dívidas, mas com o que mais se importam é sorrir na foto. Político sendo político. Ze Eustáquio, o pior político que Patos já teve. Uma lástima. Não se esqueçam disso nas eleições do próximo ano.

    25 5 Responder

  • Aposentado | 3 semanas, 4 dias atrás

    Emater é muito atrasada, burocrática e muito desatualizada. Antigamente foi até útil. Hoje, é apenas uma empresa a serviço de políticos nas indicações dos cargos de chefia. Nada de mérito. Se fechar, não faz falta nenhuma. O mundo evoluiu é a Emater parou no tempo. Onde já se viu pagar funcionários públicos pra mexer com pratos típicos de entidade particular. Absurdo total.

    9 19 Responder

  • Karlin Jair | 3 semanas, 4 dias atrás

    Quem fala mal da Emater é porque não conhece o trabalho dela diante dos produtores rurais que leva o alimento até a mesa do consumidor. Eu sou produtor rural e era muito bem atendido por essa empresa. Tive assistência técnica da mesma durante vinte anos passados.

    20 8 Responder

  • Cadê o Queiroz? | 3 semanas, 4 dias atrás

    Pagar isso tudo para a Emater fazer pratos típicos na fenamilho. É brincadeira viu. Dispensa essa Emater. Já passou de horas.

    15 20 Responder

    Agricultor - 3 semanas, 4 dias atrás

    Concordo plenamente. Essa empresa pública deveria se preocupar é com o trabalho em campo. Aliás, já que entramos nesse mérito, vou explicitar o meu descontentamento com essa empresa. Certa vez, a empresa, por intermédio de seu servidor, pediu para que eu solicitasse o "proagro", por consequência de uma chuva de pedra de gelo que devastou minha plantação de milho. Assim o fiz, solicitando o tal "proagro". Feito isso, a lavoura se recuperou, inviabilizando o benefício, segundo a perícia, (que permanecera na lavoura, aproximadamente 20 minutos, coletando algumas espigas) ademais, me deixaram uma dívida, por esse processo malsucedido. Tive que quitar o valor da "assistência", valor este que, ficou mais oneroso ainda para compor meu custo de produção. Resultado... A péssima "assesoria técnica, ou assistência, como queiram denominar, titubeou e me fez solicitar, desnecessariamente, um benefício que, embora fosse concedido, mal pagaria meus custos com a lavoura, mas, que, ao final, me onerou em dobro. Cortem o cordão umbilical com essa empresinha!

    5 18

  • Pedro | 3 semanas, 4 dias atrás

    Quem fala mal da EMATER precisa estudar. Muitas propriedades rurais da região se tornaram produtivas com ajuda dela que tinha em seus quadros agrônomos e técnicos da mais alta qualidade. Como a atividade rural - inclusive de pequenas propriedades - se tornou um negócio como outro qualquer, ela hoje busca apoio em grandes empresas logicamente pagando por isso. Então de verdade, temos que saber até se realmente é necessário o retorno da EMATER. Sobre a dívida da Prefeitura também temos que pensar: como a prefeitura deve dinheiro a uma empresa estatal de fomento ?? O Estado realmente precisa ser passado a limpo e isso não depende da prefeitura.

    8 18 Responder

carregar mais comentários