Tromba d’água mata três pessoas da mesma família em cachoeira no Sul de Minas

As três vítimas são pai, mãe e filha.

publicado em 02/01/2020, por Farley Rocha


–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Clinica Medic Imagem

Três pessoas morreram e mais de 50 ficaram ilhadas após uma cabeça d'água atingir uma das cachoeiras do complexo do Parque Ecológico do Paredão, em Guapé, no Sul de Minas. As três vítimas eram da mesma família, sendo pai, mãe e filha. Eles haviam viajado para curtir o feriado. 

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o deslocamento de água aconteceu por volta das 15h40 dessa quarta-feira (1º). Militares da corporação, em quatro guarnições, foram deslocados para a região, onde a comunicação por celular não é boa. A Defesa Civil Estadual também está no local, conforme informou o coordenador do órgão, Flávio Godinho.

O complexo de cachoeiras fica a 15 quilômetros de distância do Centro de Guapé, cidade próxima à Boa Esperança. Além das ajudas das duas equipes, integrantes do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e da Polícia Militar realizam o resgate das vítimas.

Cabeça d´água

O fenômeno acontece quando há rápida elevação do nível de água depois de um temporal somado ao forte calor e alta umidade do ar. De acordo com o meteorologista Lizandro Gemiacki, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o volume de água pode subir vários metros em pouco tempo, formando uma enxurrada destruidora, sem dar tempo suficiente para que banhistas fujam ou busquem abrigo.

“É uma chuva que acontece nas cabeceiras dos rios e faz com que as cachoeiras levantem o nível rapidamente, pegando as pessoas desprevenidas. É uma tempestade intensa e ocorre como se fosse uma onda arrastando tudo que vem pela frente”, explicou Gemiacki.

As vítimas foram identificadas como sendo Dafhine Carvalho Magalhães Couto, de 17 anos, Áurea Carvalho Magalhães Couto, de 39 anos, e Emerson Luis de Magalhaes, de 45 anos. Segundo os Bombeiros, até a noite de ontem não havia relato de pessoas desaparecidas. O local, que é ponto turístico, estava cheio de visitantes. Devido à forte chuva, houve uma enxurrada que aumentou rapidamente o volume do rio. Vídeos feitos por frequentadores mostram a força da correnteza em uma das quedas e pessoas desesperadas.

Autor: Farley Rocha Postado em 02/01/2020
Compartilhe:

4 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Cumedo de queijo | 1 mês, 3 semanas atrás

    AS PESSOAS MORREM POR CONTA DAS SUAS PRÓPRIAS BURRIÇES. IMPOSSÍVEL NÃO ENXERGAR A CHUVA PRÓXIMO AL LOCAL ONDE ESTÃO.

    2 3 Responder

    mineirinho - 1 mês, 3 semanas atrás

    nem sempre chove perto da regiao onde se esta . se a cabeceira do rio fica longe ou seja em outra regiao onde voce esta pode ter sol onde vc esta e chuva na cabeceira do rio . o certo mesmo é ninguem ir a rios ou cachoeiras em epocas de chuva.

    1 0

  • Tião | 1 mês, 3 semanas atrás

    Pessoal essa época do ano e muito tentador ir a cachoeiras e rios, mas tomem cuidado pois esse fenômeno não e raro acontece com muita frequência.

    6 0 Responder

  • Maria | 1 mês, 3 semanas atrás

    Muito triste

    4 0 Responder