Presidente da CNBB fala dos verdadeiros símbolos da Páscoa: o cordeiro e o círio Pascal

"O que o coelho tem a ver com o ovo? Ou o que ambos têm a ver com a Páscoa?", questionou.

publicado em 19/04/2019,


O arcebispo de Brasília e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Sergio da Rocha chama a atenção, em artigo, para os verdadeiros símbolos da Páscoa: o cordeiro e o círio pascal, que representam o próprio Cristo morto e ressuscitado. Embora tenham adquirido uma conotação mais comercial, ovos e coelhos também, na avaliação do presidente da CNBB, também remetem ao sentido final da celebração a Páscoa: a festa da vida. Veja, abaixo, a íntegra do artigo.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Actual Hospital - Especial Notícias

Os símbolos Pascais

O sentido da Páscoa tem sido manifestado através de diversos símbolos. Alguns deles, como coelhos e ovos de chocolate, acabaram reduzidos a artigos de consumo cada vez mais refinados, tornando-se difícil reconhecer o seu sentido pascal. Muitos se perguntam: O que o coelho tem a ver com o ovo? Ou o que ambos têm a ver com a Páscoa?

Embora possam ofuscar o verdadeiro sentido pascal, para entendê-los, é preciso recordar a razão de ser da Páscoa: a ressurreição de Jesus! Jesus ressuscitou! A vida venceu a morte! Páscoa é a festa da vida. À luz deste significado maior, podemos compreender o sentido que se quer atribuir a ovos e coelhos como símbolos pascais. Os ovos são símbolos da vida que nasce; os coelhos, conhecidos pela fertilidade, também estão associados à vida abundante.  Contudo, por mais que se possa atribuir significado pascal a eles, nada se compara aos dois maiores e mais genuínos símbolos pascais: o cordeiro e o círio pascal, que representam o próprio Cristo morto e ressuscitado.

O Círio Pascal é a grande vela acesa na Vigília Pascal, a partir do fogo novo, no qual se encontram gravados: as letras A e Z ou suas correspondentes Alfa e Ômega, no alfabeto grego, lembrando que Cristo é o princípio e o fim de tudo; os algarismos representando o ano em que se celebra a Páscoa, 2.0.1.9, portanto, a sua atualidade; uma grande cruz, na qual são inseridos cinco cravos, recordando as marcas da Paixão trazidas pelo Ressuscitado. O Cristo glorioso é o mesmo Jesus que doa sua vida na cruz, conforme o célebre episódio do encontro de Tomé com Jesus.

O Cordeiro é um símbolo pascal de origem bíblica, utilizado na celebração da Páscoa judaica. Jesus é o novo cordeiro pascal, cujo sacrifício traz a vida e a salvação; sua morte coincide com o sacrifício dos cordeiros no templo de Jerusalém, segundo a narrativa joanina da Paixão.

Na iconografia cristã, Jesus é representado por um Cordeiro, como nas imagens de São João Batista, que apresentou Jesus aos primeiros discípulos, como o “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Toda essa riqueza dos símbolos pascais quer ajudar-nos a compreender e a viver o verdadeiro sentido da Páscoa, levando-nos a entoar com a voz e a vida o “aleluia” pascal, expressão alegre e solene de louvor, verdadeiro símbolo sonoro da Páscoa da Ressurreição de Jesus.

Cardeal Sergio da Rocha

Arcebispo de Brasília

Presidente da CNBB

Fonte: CNBB

Postado em 19/04/2019
Compartilhe:

1 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Riala Mafon | 4 meses atrás

    A religiosidade através dos seus símbolos fica mais fácil e envolvente vivenciar psicologicamente a Fé. Eu como Espírita, respeito profundamente o os artigos de fé do Círio e Principalmente do Cordeiro. Em tempos difíceis como estamos passando, leva-nos a vivenciarmos mais intensamente a Religiosidade, em busca consciente ou inconsciente do Cristo como a única Esperança válida para a nossa Vida. É muito bom vivermos o clima religioso, quer que notemos ou não, a Vida fica mais com sentido, as montanhas ficam mais baixas as planícies ficam mais belas.

    1 0 Responder