MPMG inaugura oficina de leitura em complexo penitenciário em Carmo do Paranaíba

Foram doados 455 livros para a realização do programa.

publicado em 04/09/2019,


A oficina do Programa Ler Liberta foi inaugurada na quinta-feira, 29 de agosto.

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), em parceria com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), com a Defensoria Pública de Minas gerais (DPMG) e com a Direção do Complexo Penitenciário Nossa Senhora do Carmo, inaugurou, na quinta-feira, 29 de agosto, a oficina do Programa Ler Liberta, no município Carmo do Paranaíba. O programa faz parte do projeto social que visa à implantação da remição pela leitura aos presos e teve como foco o complexo penitenciário, destinado às detentas do sexo feminino.

Na última semana, a oficina inaugural contou com a participação da promotora de Justiça Natália Nogueira Soares Marra, do romotor de Justiça Bernardo de Moura Lima Paiva Jeha, do juiz de Direito titular da Vara Criminal e de Execução Penal da Comarca de Carmo do Paranaíba, Denes Marcos Vieira, o diretor do Complexo Penitenciário Nossa Senhora do Carmo, Jefferson Alcântara Almeida, e de membros da Comissão Organizadora do Projeto Ler Liberta.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Rota Pop

A oficina inaugural disponibilizou 30 livros e contou com a participação de 17 recuperandas, que tiveram a opção de escolher a obra que utilizariam durante a primeira resenha a ser considerada para a remição. Para a formação do acervo bibliográfico do projeto, houve grande engajamento por parte da sociedade civil de Carmo do Paranaíba, que doou, até o momento, 455 livros. Entre estes, 298 atendem aos objetivos do projeto, sendo posteriormente catalogados e identificados para as mulheres presas do local.

O principal motivo para a realização do programa no complexo penitenciário feminino foi devido à menor quantidade de oportunidades de estudo e trabalho interno e externo que são oferecidos às mulheres em situação de cárcere. Tendo isso em vista, durante aproximadamente um mês, as detentas receberam lições de língua portuguesa e de redação de textos, de forma que estivessem aptas a produzir as resenhas literárias que serão avaliadas para a concessão da remição.

Programa Ler Liberta

O Programa Ler Liberta foi idealizado pela promotora de Justiça Carolina Frare Lameirinha com o objetivo de oferecer às recuperandas os direitos ao conhecimento à educação, à cultura e ao desenvolvimento da capacidade de pensamento crítico, por meio de atividade de leitura e produção de resenhas.

Fonte: Superintendência de Comunicação Integrada Ministério Público de Minas Gerais

Imagens atualizado em 04/09/2019 • 1 fotos

Postado em 04/09/2019
Compartilhe:

14 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • ... | 2 semanas atrás

    vis a vis

    2 1 Responder

  • Romário | 2 semanas atrás

    Vergonha. Qual a razão de não serem tão engajados em projetos para as VÍTIMAS? VERGONHA!!! Vão ajudar as vítimas tb... cadê a segunda chance das pessoas que essas presas mataram ?

    4 3 Responder

  • >>>>><<<<< | 2 semanas atrás

    Odeio sarcasmo, mas que tal uma escola para formação de pastores evangélicos dentro dos presídios?

    2 2 Responder

  • Uau | 2 semanas atrás

    Meu Deus quero até ser presa por um homem desse????amei

    5 10 Responder

    Chacrinhamarilim - 1 semana, 6 dias atrás

    Tô nessa também! Uiiiiiiiiii!!!

    1 0

  • Observador | 2 semanas, 1 dia atrás

    Parabéns tania rocha pela iniciativa de ajudar a fazer a diferença pena q a diretora da escola. Nao tem essa garra q vc tem em poder enxergar o melhor das pessoas exemplo e modelo para outras penitenciárias

    15 5 Responder

  • Edu | 2 semanas, 1 dia atrás

    Brasileiros (a) não gostam de ler, é guando ler, não entende nada que leu.

    12 19 Responder

    COLOSSUS - 2 semanas atrás

    Escrever também não né...kkkk

    4 0

  • Priscila | 2 semanas, 1 dia atrás

    Uau! Esse agente é um gato!

    9 13 Responder

  • Paulo | 2 semanas, 1 dia atrás

    Que Agente Penitenciária mais linda meu Deus!!! Estou apaixonado por ela e por esse sorriso maravilhoso!!!

    14 5 Responder

  • Na Real | 2 semanas, 1 dia atrás

    Aqui o crime compensa!!! Que tal as AUTORIDADES CONSTITUÍDAS, inaugurassem a oficina...NÃO PRATIQUEM CRIME, POIS VOCÊS VÃO MOFAR NA CADEIA!!! Quem tem ocupação raramente vai ter tempo em praticar crimes! Se o sujeito é responsável, o estado não precisa se preocupar com ele! Mas aqui, o criminoso é tratado como um rei, tem direito á todas as benesses, coloca estes vagabundos para trabalhar, para cobrir as custas que o estado tem com eles, quando estão presos, para ver se a criminalidade não diminui bastante; mas aqui é muito bonito para o MINISTÉRIO PUBLICO, dar vida boa para quem deveria ser levado ao fuzilamento!!! Eu não sei se é estes criminosos que são a ESCÓRIA da sociedade, ou se são estas "AUTORIDADES", que beneficiam estes tipos de regalias!!!

    19 12 Responder

    Alice - 2 semanas atrás

    Ai amado vai ler a lei de execução penal pra falar que autoridades beneficiam criminoso, cumpre o que tá na lei! A vontade deles é esmurrar cada preso que entra na penitenciária, mas não pode.

    0 0

  • João pedro | 2 semanas, 1 dia atrás

    Policial linda meu Deus

    12 6 Responder

carregar mais comentários