Justiça aumenta para 14 anos pena de homem que tentou matar Promotor em Monte Carmelo

O acórdão negou o pedido da defesa de redução da sanção aplicada, com base na suposta inexistência das qualificadoras.

publicado em 08/05/2020, por Farley Rocha


Imagem Ilustrativa.

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) deu provimento a recurso interporto pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), aumentando de nove anos e quatro meses para 14 anos de reclusão a pena do executor do atentado ao promotor de Justiça Marcus Vinicius Ribeiro Cunha, ocorrido em fevereiro de 2015, em Monte Carmelo. O acórdão negou o pedido da defesa de redução da sanção aplicada, com base na suposta inexistência das qualificadoras. 

 O crime ocorreu quando Marcus Vinícius saía da Promotoria de Justiça de Monte Carmelo e o homem, de motocicleta, aproximou-se e efetuou 15 disparos contra o carro da vítima, que foi atingida por três tiros. De acordo com a acusação, o atirador tentou matar Marcus Vinícius em razão de ações movidas pelo promotor de Justiça contra o seu pai, ex-presidente da Câmara Municipal de Monte Carmelo.  

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Rota Pop

 O pai, condenado como mandante do crime, e o filho, como executor, foram julgados em março de 2017, em Uberlândia, e condenados a nove anos e quatro meses de reclusão pela prática de tentativa de homicídio duplamente qualificado (motivo torpe e uso de recurso que dificultou a defesa do ofendido). Na ocasião, atuaram na acusação os promotores de Justiça Luciana Teixeira Rezende e Renato Teixeira Rezende. 
 O TJMG ainda irá julgar apelação ministerial e da defesa relativamente ao mandante do crime, uma vez que o feito foi desmembrado após o júri. 

Promotor de Justiça em Monte Carmelo desde 2010, Marcus Vinícius Ribeiro Cunha esteve à frente, em 2013, da operação Feliz Ano Novo, que teve como objetivo desmontar esquema de fraudes em licitações e desvio de dinheiro público na Prefeitura e na Câmara Municipal de Monte Carmelo. O ex-presidente da Câmara figurou como um dos investigados, tendo sido afastado, por ordem judicial, do cargo de vereador.

Reconhecido como promotor de Justiça combativo e dedicado, é responsável por ações de grande relevância para as regiões do Alto Paranaíba e Triângulo Mineiro. Atualmente, atua em Uberlândia. 
Fonte: Superintendência de Comunicação Integrada MPMG

Autor: Farley Rocha Postado em 08/05/2020
Compartilhe:

2 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes, fake news ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve-se ter ciência de que poderá ser responsabilizado cível ou criminalmente!

Os comentários que receberem 100 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Lindolfo vaz | 2 meses, 4 semanas atrás

    Aqui no brasil quem cobate os crimes, que sao punidos e se nao ficar esperto vai preso. Olha os politicos. Como tal lula ladrao 90% dos profissionais do judiciario foi colocados pelo pt e tem alguns que sao afavor dos ladroes e outros tem defendido a legalidade da lei.

    4 3 Responder

    forasteiro - 2 meses, 4 semanas atrás

    Funcionario do judiciario e concursado.

    0 0