Isolamento continua sendo a principal medida para conter a covid-19 em Minas, diz Secretário de Saúde

Por isso, enfatizamos sempre que o isolamento e o distanciamento são importantes para que todo esforços que estamos fazendo, como adaptar os serviços de saúde, tenham o seu resultado adequado”, afirmou.

publicado em 02/06/2020, por Farley Rocha


Secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral.

Nessa segunda-feira (01), o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, apresentou o cenário da doença no Estado e reforçou a importância de seguir as medidas de isolamento para conter a epidemia.

Conforme o Secretário, “é importante entendermos que o isolamento continua sendo, individualmente, a principal medida de controle desta epidemia. Se não tivermos o isolamento e o crescimento for exponencial dos casos, não tem como a capacidade instalada de nenhum serviço de saúde dar conta da epidemia. Por isso, enfatizamos sempre que o isolamento e o distanciamento são importantes para que todo esforços que estamos fazendo, como adaptar os serviços de saúde, tenham o seu resultado adequado”, afirmou.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Rota Pop

O Governador Romeu Zema também participou do pronunciamento. Em relação ao número de óbitos confirmados pela doença, o Governador se solidarizou com as famílias que foram acometidas pela covid-19.

“Queria lamentar e me solidarizar com as famílias das vítimas da covid-19, número completado ontem no Estado. Reforço que, com o advento da pandemia, o Estado está fazendo o possível. Gostaria de fazer muito mais, mas, os limites orçamentários nos impõem uma série de limitações. Mas, dentro do possível, estamos fazendo tudo que está ao nosso alcance”, reforçou.

Surtos

Em relação ao acompanhamento de surtos da doença no estado, o secretário informou que a SES-MG acompanha esse fluxo e reforça as orientações aos gestores municipais. De acordo com o secretário, uma epidemia se propaga de duas formas. Uma forma é por meio da propagação continuada, que é aquela caso a caso, onde uma pessoa vai transmitindo para outra. A outra forma é a transmissão de casos pontuais (surtos), onde há transmissão da doença dentro de grupos de pessoas asiladas, agrupadas, dando origem aos surtos.

“Nesse segundo caso há um risco maior de transmissão. De uma forma geral, as nossas orientações são no sentido de toda vez que se há um caso diagnosticado, em que a há a suspeita de um surto, esse surto é tratado com isolamento exemplar, ou seja, todas as pessoas envolvidas devem ser isoladas e testadas. Esses casos fazem parte do grupo de testagem mais ampla que adotamos na SES-MG”, explica.

O secretário também ressalta que todas as vezes que a SES-MG identifica um surto, há uma orientação de todos os serviços de saúde da região a proceder um isolamento mais amplo e também acompanhar a evolução dos surtos. “Como em cidades pequenas temos dificuldades de recursos humanos para a implementação de um equipamento de saúde muito amplo, os atendimentos de maior complexidade tendem a ser centralizados em cidades maiores, com leitos e recursos humanos necessários para os atendimentos.

Entendemos que, mesmo em cidades pequenas, precisamos cercar o surto, para que não venha sobrecarregar o serviço de saúde de uma microrregião ou macrorregião”, disse.

Taxa de transmissão

O R0 é a taxa utilizada para indicar como a epidemia está evoluindo no estado, ou seja, é um parâmetro para saber se a transmissão tem aumentado ou diminuindo. Esse parâmetro avalia a possibilidade de transmissão do vírus por uma pessoa doente para outra. Segundo o secretário, do ponto de vista do acompanhamento de uma epidemia, se uma pessoa transmite para outra pessoa, matemos o nível de transmissão. Se temos uma pessoa que transmite para menos de uma pessoa, entendemos que essa epidemia está em fase de remissão, desaquecendo. Já por outro lado, se temos uma epidemia que uma pessoa transmite para mais de uma pessoa, entendemos que há uma tendência de crescimento. E, se essa tendência de crescimento estiver acima de 2, temos um crescimento exponencial da doença.

“Em Minas, atualmente a taxa de R0 é de 1,42, ou seja, uma pessoa transmite para 1,42 pessoas. Há uma tendência de crescimento da epidemia no Estado, mas não é um crescimento tão exponencial. Se compararmos ao início de março, quando tivemos o início do isolamento, naquele momento tínhamos a taxa de transmissão de 3,5, ou seja, uma pessoa transmitia o vírus para 3,5 pessoas. Efetivamente, de março até agora, tivemos um decréscimo muito grande da transmissão”, explica.

Em complementação, o secretário informou que o acompanhamento também está sendo realizado de forma regional. “Estamos acompanhando a transmissão por macrorregiões e, aquelas macros que estão com a tendência um pouco maior, estamos entrando em contato com os secretários municipais de saúde e orientando sobre a busca de um isolamento maior, para que tenhamos casos pontuais de redução desse índice”, finaliza.

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde

Autor: Farley Rocha Postado em 02/06/2020
Compartilhe:

7 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes, fake news ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve-se ter ciência de que poderá ser responsabilizado cível ou criminalmente!

Os comentários que receberem 100 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Naná | 2 meses atrás

    Estes jovens noção estão pondo nós idosos em riscos porque saí para as fará e não está Nei aí para eles

    0 0 Responder

  • PÉ DE FERRO | 2 meses atrás

    Isso é conversa pra boi durmi! NINGUÉM USA MÁSCARA NÃO! SÓ USA PRA ENTRAR NOS LUGARES , ninguém tá nem aí! .....TEM QUE MORRER MESMO QUEM QUER MORRER! E ODONTO NINGUÉM SEGURA NINGUÉM!

    0 1 Responder

  • Pedreiro | 2 meses atrás

    Discordo de fazermos festas, aglomerações, cultos e do funcionamento de escolas, mas sou a favor do funcionamento do restante, desde que usemos máscaras. Considerando que já ficou provado que nem todos podem cumprir o isolamento radical devido o trabalho e afazeres do dia a dia, por isto não adianta querer parar e isolar o povo que NÃO FUNCIONA. Usem máscara.

    3 2 Responder

  • Rosa | 2 meses atrás

    eu acho que pode voltar tudo normal, é só as pessoas usar máscara e manter distancia

    5 5 Responder

  • Libera tudo | 2 meses atrás

    Bora liberar geral e deixar a teoria de Darwin ser comprovada na prática, seleção natural o ser mais adaptado sobrevive nesse caso os mais inteligentes, bom que limpa a cidade de crente e gado.

    3 5 Responder

  • Alexandre | 2 meses atrás

    Que vontade de dar um abraço nesse nosso Governador, gente! :clap:

    7 4 Responder

  • Acordai | 2 meses atrás

    Será mesmo que os laboratórios que estão fazendo testes aqui em Patos os particulates e que cobram a partir de $290,00 estão repassando com fidelidade os resultados para a secretária, sinceramente não acredito inclusive hj liguei para a secretária da saúde e falei isto, o que eles me informaram é que o teste rápido que é menos confiável ele não repassa mas o RPG este sim todos são repassados, o problema é do outro lado é o político e eles não são nada confiáveis, com medo dos empresários, mas e a população está que irá pagar pela sua ignorância, causada por ela mesmo e pela falta de clareza das informações, acho que é por aí que ainda ficará muito mais sério do que já está..por isto devemos pelo menos no final de semana fazer a nossa parte distanciamento e isolamento...

    10 3 Responder