Em guinada histórica, Vaticano cogita padres casados na Amazônia

Trata-se da menção mais direta já vista em um documento do Vaticano

publicado em 17/06/2019,


Um documento do Vaticano emitido nesta segunda-feira disse que a Igreja deveria cogitar ordenar homens casados como padres em áreas remotas da Amazônia, em uma guinada histórica que alguns acreditam poder abrir caminho para outras áreas onde o clero é escasso.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Clinica Medic Imagem

A recomendação, contida em um documento preparatório elaborado pelo Vaticano para um sínodo de bispos da Amazônia marcado para outubro, também pediu algum tipo de “ministério oficial” para mulheres da região, mas não entrou em detalhes.

Trata-se da menção mais direta já vista em um documento do Vaticano da possibilidade do sacerdócio de homens casados, embora limitada, e de um papel ministerial maior para mulheres em uma área do mundo.

O documento falou da possibilidade de ordenar aqueles conhecidos como “viri probati” —homens de caráter comprovado, em latim— para lidar com a falta de padres. Tais homens seriam membros idosos e destacados da comunidade católica local com famílias já criadas.

“Embora afirmando que o celibato é um presente para a Igreja, houve pedidos de que, para as áreas mais remotas da região, (a Igreja) estude a possibilidade de conferir ordenamento sacerdotal a homens idosos, preferivelmente nativos, membros respeitados e aceitos de suas comunidades”, disse o documento.

O texto disse que tais homens poderiam ser ordenados “mesmo se já tiverem uma família estabelecida e estável, de forma a garantir os sacramentos que acompanham e sustentam a vida cristã”.

Só padres podem rezar missas ou ouvir confissões, o que significa que os católicos de comunidades isoladas da Amazônia podem passar meses sem participar de nenhum destes sacramentos.

Alguns estudiosos católicos disseram que a aprovação dos “viri probati” na Amazônia pode abrir caminho eventualmente para seu emprego em outras partes do mundo em reação à carência de padres.

Em uma entrevista a um jornal alemão em 2017, o papa Francisco se disse disposto a cogitar o ordenamento dos “viri probati” como padres em comunidades isoladas.

Mas ele descartou uma abertura geral do sacerdócio aos homens casados ou reduzir o compromisso da Igreja Católica com o celibato, visto como uma virtude que liberta os padres para devotarem suas vidas por completo ao serviço de Deus.

O sínodo de 6 a 27 de outubro no Vaticano incluirá bispos e outros representantes do Brasil, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

Fonte: Agência Reuters

Postado em 17/06/2019
Compartilhe:

2 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • católico desolado | 5 meses, 3 semanas atrás

    A Igreja Católica vem passando por profundas mudanças desde o Vaticano II. O fato de padres poderem casar, isso em si, não deveria ser um escândalo. Nas Igrejas Ortodoxas, por exemplo, há a possibilidade de padres casarem. Mas na Igreja de Rito Latino à qual pertencemos, isso não é permitido. Não sei como resolver esse dilema. Mas a preocupação do Papa e dos bispos a fim de que haja mais padres na Amazônia é legítima e, de fato, precisa encontrar soluções.

    2 4 Responder

    Catequizar - 5 meses, 3 semanas atrás

    São Jesuítas com interesses políticos!

    2 1