Dia da Consciência Negra: as vozes da comunidade negra de Patos de Minas

Data convida a população a refletir sobre a luta contra o racismo no Brasil.

publicado em 20/11/2020, por Luís Fellipe Borges - em estágio


Novas vozes movimentam a comunidade negra da cidade.

“Dia 20 de Novembro morria um Zumbi

Mais vivo que nunca, pra gente tá aqui

Sedento por vida e por liberdade

Lutando pra que houvesse mais igualdade

Líder do Quilombo denominado Palmares

Pela luta dos negros ele se fez a resistência

Racismo sim é uma doença”

(Racismo é uma doença - DuArte)

Neste 20 de novembro, se celebra o Dia da Consciência Negra. Apesar de ter sido instituída em Lei apenas em 2011, a data é comemorada desde 1960 pelo Movimento Negro no Brasil, como forma de homenagear Zumbi dos Palmares, um dos maiores símbolos da luta pela liberdade do povo negro no país.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Clinica Medic Imagem

Muito além de uma figura histórica, Zumbi inspira a comunidade preta do Brasil na luta contra o preconceito, que está enraizado na nossa sociedade. De acordo com José Antônio Ventura, Coordenador de Políticas Públicas do Conselho e Promoção de Igualdade Racial de Patos de Minas (Compir) e Presidente da Federação Nacional Quilombola, há no país um racismo estrutural latente.

“O dia da Consciência Negra é hoje, mas, para nós que militamos nessa causa, o trabalho é de 365 dias por ano no combate ao racismo estrutural que existe no Brasil”. Ele diz ainda que a comunidade não é vista pelo poder público da cidade. “Nós aqui em Patos de Minas somos uma população invisível ao poder público, juntamente com nossos trabalhos de Umbanda, Candomblé, samba de roda e todas essas culturas que passam despercebidas”.

Ainda segundo José Antônio, a população quilombola sofre bastante com o descaso do poder público. “Existe uma grande população quilombola que foi desapropriada de suas terras e hoje se encontra marginalizada nas regiões periféricas, sem acesso a políticas públicas na cidade”.

Por esse motivo, Ventura convoca a população para que participe da luta pelos direitos do povo negro e também do combate ao racismo visando a uma igualdade racial. “Nós somos um povo unido nos nossos princípios e vamos lutar pelos nossos direitos. Hoje, nós queremos respeito a nossa cultura e que seja um dia de muita reflexão para a população patense e também de todo o Brasil”.

As novas vozes pretas de Patos de Minas

“De Mandela a Martin Luther

De Muhammad Ali brigando no ringue

E de pequenos grandes atos como o de Rosa Parks

Como King sonhava para que teus filhos não fossem julgados por cor

e sim por personalidade.

 King se foi, seu sonho ainda fica

Ainda vivemos numa sociedade Maldita”

(Racismo é uma doença - DuArte)

Assim como Zumbi dos Palmares, outros nomes importantes da História mobilizaram a luta pela igualdade racial pelo mundo, como Nelson Mandela, Marthin Luther King Jr. e Rosa Parks. Inspirados por esses e por outros ícones de resistência, há pessoas na região de Patos de Minas que também se utilizam de sua voz para legitimar e fortalecer a luta da comunidade negra na cidade.

É o caso da coordenadora do Movimento Negro Unificado (MNU) de Patos de Minas, Élida Abreu. Segundo Élida, a luta contra o preconceito faz parte de sua trajetória pessoal desde a infância.

Élida Abreu.

“A militância está comigo desde que eu nasci. Sou filha de pai e mãe pretos da periferia, então sofri durante minha infância com o racismo. Eu escondia minha essência para poder me enturmar nas rodas de amizade no colégio. Porém, eu sempre encarei isso de uma forma diferente. Eu não abaixava a cabeça e sempre questionava o que diziam na escola sobre a comunidade preta”, relata Élida.

Desde então, Élida se envolveu mais com as demandas da população negra até ingressar no MNU em 2016. Dois anos depois, em 2018, assumiu a função de coordenadora do projeto em Patos de Minas, que possui braços espalhados por todo o país. A partir daí, vários avanços já foram conquistados, mas ainda há trabalho a ser feito.

“Aqui em Patos, conseguimos a criação do Conselho e Promoção de Igualdade Racial, que conta com membros da sociedade civil e do poder público. Com isso, temos conseguido muitos avanços na cidade, mas ainda falta a adesão de grande parte da comunidade negra, devido à própria falta de conhecimento de alguns grupos sobre a existência do Movimento”, afirma.

Outra voz importante da comunidade negra patense é Felipe Augusto Duarte Rodrigues. O jovem de 21 anos, conhecido como DuArte, se utiliza de suas redes sociais para veicular poesias de protesto contra o racismo. O poema Racismo é uma Doença, por exemplo, que norteia toda esta reportagem, é de autoria de Felipe, que se inspira na cultura do rap para escrever suas letras.

“Quando eu tinha sete anos, fui para Uberlândia. Lá, eu conheci a poesia, as rodas de rima e a cultura do rap. Desde então, eu tomei paixão pela escrita. Sempre quis falar sobre racismo, pois é algo que eu e minha família sentimos na pele, e essa foi a forma que encontrei para fazer isso”, conta o artista patense.

Felipe DuArte.

Hoje, DuArte já atinge mais de mil pessoas pela internet. Além disso, as rimas conseguiram uma repercussão que vai além das mídias digitais. A Prefeitura de Patos de Minas chegou a utilizar um trecho de uma de suas poesias em uma prova da Escola Municipal Prefeito Jacques Corrêa da Costa. Para Felipe, contribuir na tomada de consciência da comunidade ao seu redor é recompensador.

“Eu tenho ideais bem formados, e coloco a cara para bater. Sempre que me bate uma inspiração, eu vou até o Instagram e posto um vídeo. Algumas pessoas já me disseram que minha poesia mudou a ideia que elas tinham, e isso é muito gratificante”, relata o jovem.

Veja como foi a participação de Felipe DuArte no Programa Contraponto:

O poder da educação

Ações educativas são primordiais no combate ao racismo.

“Na minha faculdade ouvi uma hipocrisia

 Racismo era o tema do dia

Na frente da sala uma mina dizia

 Que se acabar a cota, acaba o racismo no Brasil

Tadinha, quanta hipocrisia no coração

Mas não a culpo, culpo a alienação

Problema nunca foi cota

Sempre foi educação

Que por sinal é péssima

Como a mídia ressalta um país miscigenado

Onde a miscigenação não é representada na sala de Aula

O problema é cota? Ou oportunidade?

Você acha mesmo que o carinha do cursinho concorre de igual pra igual com preto de favela pra entrar na faculdade?”

(Racismo é uma doença - DuArte)

À medida que as vozes do movimento negro se posicionam em prol da comunidade, como forma de superar os preconceitos, é fundamental que a sociedade como um todo possa compreender, respeitar e apoiar as causas desse grupo. Para o historiador e atual Diretor de Memória e Patrimônio Cultural de Patos de Minas, Geenes Alves, a educação é a principal ferramenta que pode ser utilizada no processo de promoção da igualdade racial.

“Desconstruir o preconceito em relação à população negra é um trabalho que vai demandar muita atenção, cuidado e excelência dentro das instituições de ensino. Afinal, são séculos de marginalização e de um olhar equivocado sobre esse grupo”, afirma Geenes.

Ainda segundo Geenes, antes de tomar qualquer medida, o primeiro passo que as escolas e os professores devem realizar é o reconhecimento do racismo como fenômeno verdadeiro e enraizado na sociedade brasileira.

“Primeiro, é preciso que as instituições, os educadores e as famílias reconheçam a existência do racismo estrutural, para que estabeleçam metas e procedimentos didáticos e metodológicos que combatam essa realidade e promovam a igualdade racial não apenas no discurso, mas na consciência, na mentalidade e no coração das pessoas”, destaca.

Nesse sentido, uma das ações feitas pelo poder público brasileiro foi a implantação das Leis 10.693 (2003) e 11.645 (2008), as quais preveem a obrigatoriedade do Ensino da história e cultura afro-brasileira e africana desde a Educação Básica. Para Geenes, essa medida foi de suma importância para o combate ao racismo no país.

“Esse já é um passo significativo para que haja estrutura adequada e suficiente para que se trabalhe essa temática nas escolas. Com isso, podemos ter uma situação diferente da que temos hoje no que se refere ao racismo”, completa o historiador.

Estudante de Ciências Contábeis, o poeta DuArte também ressalta a importância de mobilizar a juventude no combate ao racismo por meio da educação.

“No Brasil, há um racismo velado: as pessoas são racistas mesmo sem perceber. Por isso, precisamos ensinar o valor do respeito às nossas crianças, desde novas. É mais fácil moldar o pensamento de uma pessoa jovem, para que lá na frente, ela tenha uma visão diferente e possa ensinar outras crianças. Afinal, não se nasce racista, se aprende a ser racista”, diz DuArte.

Representatividade

“Na TV preto não é representado

Tem duas opção pra novela das 9 ser notado

Ou empregado de madame ou novela de escravo

Hoje tá mudando, muito se deve a Léa Garcia

Taís Araújo, Lázaro Ramos

e também Emicida

É de pouco em pouco que mudamos essa idéia e batemos no peito

Pessoas como eles que defendem o orgulho de ser preto.”

(Racismo é uma doença - DuArte MC)

Embora, na teoria, já existam dispositivos constitucionais que promovam a igualdade racial no país, ainda há um longo caminho a ser traçado no que se refere à representatividade da população negra no poder público. Mesmo sendo maioria na população brasileira, há menos negros eleitos a cargos políticos que brancos.

Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em 2020, pela primeira vez na história, metade dos candidatos que concorreram nas Eleições se declararam como pardos ou pretos. No entanto, 63% das prefeituras e 54% das vagas nas Câmaras Municipais serão ocupadas por pessoas brancas. Em Patos de Minas, dos  254 candidatos a vereador, 129 se declararam pardos ou pretos, sendo que apenas seis  foram eleitos: João Marra, Carlito, Wilian de Campos, Vitor Porto, José Luiz e Cabo Batista.

Para Élida Abreu, a representatividade nas instituições públicas é fundamental para o fortalecimento da comunidade negra.

"Tivemos muitos homens e mulheres pretos assumindo as Câmaras Municipais, mas a quantidade ainda é pequena. Infelizmente, falta uma formação política na sociedade que permita que a população negra, que é maioria, ocupe mais espaço. Com isso, conseguiremos ter mais voz e faremos nossas demandas serem ouvidas”, afirma Élida.

Racismo, violência e esperança

“Vim conquistar meu espaço, sem pisar em vocês

E calar boca de quem disse que preto não tem vez.

FORAM 80 TIROS 80 TIROS 80 TIROS”

(Racismo é uma doença - DuArte MC)

O dia da Consciência Negra começou com uma notícia revoltante. O assassinato de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, por seguranças brancos em um supermercado de Porto Alegre chocou o país e reforçou a importância de ações urgentes no combate ao racismo no Brasil. Afinal, esse não é o primeiro caso de violência contra a população preta - e, infelizmente, não será o último.

Neste ano, o mundo foi às ruas protestar contra a violência policial contra a população negra, embalado pela morte de George Floyd. Até a liga de basquete mais importante do mundo - a NBA, nos Estados Unidos - atuou como uma plataforma de protesto, com jogadores boicotando partidas e se ajoelhando antes de cada jogo. Tudo isso, de acordo com Élida Abreu, aponta ainda mais para o papel da sociedade como um todo no combate ao racismo.

“A luta contra o racismo não é só do povo preto, mas de toda a população. É uma questão, de oportunidade, de respeito, de equidade e de justiça”, finaliza.

“Punhos cerrados, resistência a escravidão

 Enfim, o racismo tá em toda parte irmão,

Você quem escolhe enxergar isso ou ser cego por opção”

(Racismo é uma doença - DuArte MC)

Conheça mais sobre as vozes do movimento negro em Patos de Minas:

Felipe Duarte (DuArte MC)

Instagram: @ofelipe_d

Élida Abreu (MNU)

Facebook: Élida Abreu

Autor: Luís Fellipe Borges - em estágio Postado em 20/11/2020
Compartilhe:

32 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes, fake news ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve-se ter ciência de que poderá ser responsabilizado cível ou criminalmente!

Os comentários que receberem 100 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Frouxo | 4 dias, 15 horas atrás

    Se a luta realmente fosse por direitos iguais, a maior parte da população apoiaria. A luta deveria ser travada em políticas de educação ampla e geral, de forma a gerar a verdadeira consciência de igualdade. Mas o que vemos é a busca desenfreada por privilégios. Infelizmente, NÃO VAI DAR CERTO e o RACISMO SÓ VAI AUMENTAR. Hoje, os brancos já estão vendo os pretos como rivais com privilégios em universidades, concursos públicos, em leis.... As cotas não deveriam ser por cor de pele, mas por classe social... Que igualdade é essa que se busca por meio de vantagens em relação aos demais??? ISSO NÃO VAI DAR CERTO.

    1 0 Responder

  • sabão | 5 dias, 14 horas atrás

    Queria ver se houvesse um dia da consciência branca... aí não pode, seria racismo. Mas os direitos são iguais...kkkk

    12 19 Responder

    Velho sábio - 3 dias, 16 horas atrás

    ata, é pq vc sofre muito né mano por ser branco, coitadinho dele gente, o branquinho entra no shopping e é perseguido pelos seguranças... Tadinho do branquinho gente, ele é espancado até a morte, todos dias morre um branco indefeso com 2 g de maconha enquanto um preto com 50 g só é levado pra delegacia e no outro dia saí... Tadinho do branquinho, sofreu tanto nas mãos dos pretos na nossa antiguidade, eram escravos, sofriam tanto...

    2 0

  • Black Crew | 5 dias, 15 horas atrás

    Ainda ontem estava vendo na TV a transmissão de programa... acho que era PRÊMIO DA RAÇA NEGRA, que premia alguns destaques das artes, da ciência e outros. Não vi nenhum comentário nas mídias criticando o programa... Agora imaginem se fosse PRÊMIO DA RAÇA BRANCA??? Com certeza estaríamos hoje assistindo a uma hecatombe de críticas, processos e mimimi na mídia. Logo, essa falácia de luta por direitos iguais não me parece ser tão igual assim.... Igual desde que me favoreça, né?? Em tempo, sou PRETO.

    8 7 Responder

  • Black Crew | 5 dias, 15 horas atrás

    Sinceramente, acho que a melhor forma de combater o racismo, que existe, seria não falar dele. Da forma como o tema é tratado pelos movimentos ativistas oportunistas, creio que só fomenta o ódio. Em minha opinião deveria dar ênfase na educação desde a infância e não por meio de políticas de vitimismo, acusatórias e privilégios como os vários tipos de cotas. Se somos todos iguais não deveria ter cotas que privilegiam alguns. Em tempo, sou PRETO, nasci e sou pobre, mas prefiro lutar pela vida com minha capacidade e em pé de igualdade com qualquer pessoa, NÃO ACEITO PRIVILÉGIOS POR MINHA COR DE PELE.

    8 10 Responder

    Velho sábio - 3 dias, 16 horas atrás

    Vc só fala isso pq é branco seu merda, e não sofre com nada, se fosse preto não falaria isso nunca. Todo dia um negro diferente morre, injustiçado na maioria das vezes, preconceitos nas grandes lojas, entra várias coisas... Ai me vem o outro, me falar pra deixar quieto. Beleza, vamos aceitar tudo isso caladinho ok? Vamos deixar todos negros apanharem e não falaremos nada

    1 0

  • Justo | 5 dias, 18 horas atrás

    Enquanto as pessoas se diferenciarem pela cor da pele e não se igualarem pelo branco dos olhos, existirá o racismo. Negros, tem o seu dia de consciência, mas aos deficientes, seja branco, pardo, amarelo e negro, são esquecidos. Preconceito de raça sempre tem, mas em relação aos deficientes, não sabe quão injusto é ser parte desse grupo. Até em concursos públicos, pardos e negros tem 20% de reserva, enquanto PNE e PCD tem apenas 5%. Deviam ser iguais, apesar de que a inclusão por parte dos deficientes é bem menor que pessoas "saudáveis". Enfim, igualdade mesmo no Brasil é um conto de fadas pra mim.



    4 4 Responder

  • Mauricio | 5 dias, 19 horas atrás

    ALGUNS SE VITIMIZAO DEMAIS

    4 5 Responder

    Mais amor por favor - 5 dias, 13 horas atrás

    Temos pensamentos e opiniões diferentes sobre tudo isso é fato ,mas só negros de verdade sente na pele o que é racismo mas com amor no coração possamos reagir ão sofrimento e abraçar esses artistas que nós representa parabéns a todos pela matéria linda.

    4 4

  • Tiozão do Corcel | 6 dias, 7 horas atrás

    Besteira! Essa data sobre a consciência negra já é preconceito por si só. Preconceito combatendo preconceito onde já se viu?!

    8 9 Responder

  • João Bastos | 6 dias, 7 horas atrás

    Judeus têm data para lembrar o Holocausto. USA não esquece a tristeza do 11 de Setembro. Mas aqui, o Dia da Consciência Negra mexe com a zona de conforto de um país infestado de falsos cristãos. Sou branco, católico e detesto o racismo!

    23 11 Responder

    LEX LUTHOR - 5 dias, 6 horas atrás

    Você mesmo citou dois acontecimentos tragicos para a humanidade, o Holocausto e o 11 de setembro, Me perdoe , mas em ambos morreram brancos, negros, pardos, asiaticos, ciganos, ou seja morreram seres humanos. Racismo existe em TODOS os paises do mundo e é um mal a ser combatido sem trégua, mas infelizmente o que vejo é que algumas pessoas e movimentos deturpam o objetivo principal, que é a igualdade, alguns infelizmente lutam por privilégios, e não por igualdade e justiça. Que Deus abençoe o nosso país e a nossa gente linda, miscigenada, talentosa e batalhadora.

    4 5

  • Juh | 6 dias, 7 horas atrás

    Felipe arrasou!!!! Só sucesso!

    9 1 Responder

  • Sem pre conceito | 6 dias, 7 horas atrás

    Mosso peço licença eu sou novo aqui(o rappa)então gostaria de retratar algumas vivencias,eu desde criança fui instruido de forma a tratar as pessoas com iguadade,apesar de ser considerado pardo,eu me acho "negao"amo,meu avó,meu pai,minha mae mais morenos eu mais claro,ate DNA fizemos,mas pra ter a paternidade reconhecida,enfim,acho uma burrice de quem se entitula ser "inteligente",odiar o próximo por qualquer diferença,os melhores atletas sao negros e sao meus idolos,Pelé,por exemplo,mas quando vc quer abraçar a causa por ter a conciencia negra,já vem com olhares desconfiados e te fala assim:vc nao sabe o que é ser negro,vc nao sente na pele,aí vc fica numa situação de discriminação tmb,tipo descontando o ódio,criando uma coisa negativa em toda sociedade,eu trabalhei em aplicativo com corridas,várias vezes fui submetido a lhe dar com situações que,um negro ,um travestir,que se aproveitao dessas manifestações justas pra se promover na mídia ,te fala absurdos e se vc fala algo tentando uma solução parte pra agresoes gratuita no intuito de estigar aquilo que ele queria ,mas enfim,acho massa é todos se respeitarem,covardia que fizerao com aquele ser humano no carrefur,se eu ver nao sou tao escurim,mas pra mim ,se eu me deparar com isso morro junto com o irmao,,meu respeito a todos,o que destaquei aqui dos clientes la existe prego de toda cor ,todo lado #somostodosnegrao

    7 5 Responder

  • Mano | 6 dias, 8 horas atrás

    4 P poder para o povo preto enquanto a cor da pele for mais importante do que o respeito e as ideias haverá racismo e se você nunca passou por uma situação de preconceito por ser negro não julgue nossa luta por direitos iguais fomos condenados no passado a viver nas mazelas e com sangue suor e lágrimas estamos recuperando o que é nosso por direto pode ser uma batalha infinita mais nunca vamos desistir e nem ao menos nos calar por isso sempre digo e repito cor da pele foda - se somos todos iguais

    5 8 Responder

  • Adalberto | 6 dias, 9 horas atrás

    Eu tipo não suporto preconceito. Tenho amigo preto. Meu melhor funcionário é preto. Eu tipo já demiti peão preconceituoso.

    2 11 Responder

  • Klaus | 6 dias, 9 horas atrás

    Total equívoco histórico: Zumbi era um líder despótico do quilombo dos Palmares. Possuía inúmeros escravos, mulheres e filhos. São conhecidos também os casos de incesto e abuso sexual de crianças e adolescentes. Tinha que ser atirado na lata de lixo da história!

    15 7 Responder

    PATENSE - 5 dias, 17 horas atrás

    SOU MESTRE EM HISTORIA AFRO, E VC KLAUS TEM RAZÃO . ZUMBI FEZ COM SEUS " MANOS" O MESMO QUE OS CORONÉIS FIZERAM COM OS ESCRAVOS, ZUMBI POSSUÍA INÚMEROS ESCRAVOS, E QUEM SE ATREVESSE FUGIR DO QUILOMBO ERA MORTO PARA DA EXEMPLO AOS OUTROS.

    4 2

  • Playboy | 6 dias, 10 horas atrás

    Bobagem!!!

    6 16 Responder

  • Cumedo de queijo | 6 dias, 10 horas atrás

    DATAS DESSE TIPO SÓ SERVEM PRA AUMENTAR A RIVALIDADE ENTRE AS PESSOAS BRANCAS E NEGRAS. COISA DE POLÍTICO BRASILEIRO.

    20 19 Responder

    Polícia feminina - 6 dias, 5 horas atrás

    Concordo.

    1 1

  • Junim | 6 dias, 10 horas atrás

    "As costas marcadas, as mãos calejadas e a esperteza que só tem quem está cansado de apanhar" (Herberth Viana)

    14 9 Responder

  • Tony | 6 dias, 11 horas atrás

    Sinceramente não sou a favor do dia da consciência negra, uma vez que entendo que somos todos iguais, tenho muitos mas muitos amigos negros e são pessoas muito especiais assim como muitos amigos brancos, deveríamos ter um dia da consciência humana onde todos deveriam se respeitar.

    36 15 Responder

    - 6 dias, 11 horas atrás

    Ah claro, um negro morreu hoje vítima de racismo no Carrefour, simplesmente por ele ser negro. Brancos não morrem por sua cor, eles não tem um alvo no peito por serem "escuros". Enquanto tiver pessoas ignorantes como você esse dia tem que existir.

    22 29

    Datena - 6 dias, 11 horas atrás

    Não precisamos? Hoje mesmo, nesse dia, um preto foi morto de forma covarde! E isso tendo um dia para se conscientizar hein? Não falar do problema não faz com que ele suma! Somos um país racista SIM! E é preciso ter esse dia SIM!

    14 13

    Polícia feminina - 6 dias, 10 horas atrás

    Tony concordo totalmente com você. Isso já está ficando chato. Tenho vários amigos negros e até eles acham essa militância um saco. Todos somos iguais e fim.

    18 20

    Resposata a Tony - 6 dias, 10 horas atrás

    Cara amigo Tony, você provavelmente fez escola e sabe da triste história da escravidão. Os negros foram humilhados, escravizados e entre outras barbáries. Este dia serve para lembrar que eles NÃO são mais “feitos” para o que eram a 130 anos atrás. A data se refere à morte do líder de quilombo Zumbi dos Palmares, ocorrida em 20 de novembro de 1695, símbolo de resistência negra na história do país. Embora criticada por muitos que, em vez, defendem um “Dia da Consciência Humana” já que somos todos humanos e iguais, ainda há muito o que se falar em “Dia da Consciência Negra” em um país onde a humanidade não é ofertada igualmente a todos. Enquanto a desigualdade perdurar em nossa sociedade, teremos, sim, que reservar um mês dentre os doze do ano para refletirmos a questão racial no país e os avanços por mais inclusão e igualdade neste campo. É por causa do mês de novembro que em outros meses ainda conseguimos refletir que a questão do racismo não é “vitimismo” e podemos apontar as inúmeras desigualdades produzidas por esta opressão.

    16 8

    Tony - 6 dias, 10 horas atrás

    Cada um tem sua opinião e ela dever ser respeitada, talvez não tenha sido claro no que queria dizer, mas o meu sentimento é que todos se respeitassem sem necessidade de ter um dia especifico para que isso fosse lembrado, concordo que somos um pais racista sim e fico puto com isso.

    10 3

    Datena - 6 dias, 10 horas atrás

    Não devemos esquecer ainda, último país da América a abolir a escravidão e um dos últimos do mundo! É apenas mais uma mancha em nossa historia!

    6 9

    Pedro - 5 dias, 14 horas atrás

    Não existe esse papo se somos todos iguais - o mundo não é habitado por robôs. Aliás, não há problema nenhum em ser diferente! Precisamos nos orgulhar da nossa diversidade e celebrar nossas origens. Mas infelizmente, também existe racismo, homofobia, misoginia e preconceito - pois nem todos aceitam esta diversidade. É preciso reconhecer isto para resolver estes problemas e não será apelando por uma falsa igualdade, que excluiu a diversidade de identidade, que diminuirá o preconceito.

    3 3

  • Lara | 6 dias, 11 horas atrás

    Felipe arrasa demais! Representa mesmo!

    11 10 Responder

  • Orgulho | 6 dias, 11 horas atrás

    Parabénss vai ir longe ainda

    5 6 Responder

carregar mais comentários