Com mato já se formando no leito da Lagoa Grande, Copasa fala sobre manutenção do espelho d’água

A companhia defendeu a água que é lançada no local e disse que outros fatores têm contribuído para a situação.

publicado em 22/06/2020, por Farley Rocha


A situação do local preocupa novamente.

A Lagoa Grande é um dos principais cartões postais de Patos de Minas e a Copasa é a responsável por manter o espelho d’água. No entanto, a situação do local preocupa novamente. Além de muito barro no leito, o mato já começa a crescer nas margens da lagoa. A companhia defendeu a água que é lançada no local e disse que outros fatores têm contribuído para a situação. 

O Patos Hoje já noticiou o problema e cobrou uma solução. Há alguns anos, a Lagoa Grande teve que passar por uma grande obra de revitalização devido ao assoreamento e à grande quantidade de mato que cresceu no leito. Naquela oportunidade, dezenas de caminhões de barro e outros materiais foram retirados do local. A imagem do Cartão Postal ficou prejudicada por um grande período. 

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Rota Pop

Dessa vez, uma ocorrência policial chegou a ser registrada no local. O Presidente do Codema- Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente, Ivanildo Alves, havia informado que a situação foi levada para o Ministério Público. Nesta segunda-feira (21), José Pereira, que trabalha na limpeza da orla da Lagoa Grande, mostrou preocupação com o problema. Além do mato, há pouca água na Lagoa e o barro no fundo da lagoa já é visto do alto. Segundo ele, a Copasa é responsável pelo barro no local e alguma providência deve ser tomada. O local mais assoreamento é justamente onde é lançada água para a manutenção do espelho d’água.  

No entanto, a Copasa que reconheceu ser responsável pela manutenção do espelho d’água da Lagoa Grande, um dos principais cartões postais de Patos de Minas, disse que a água lançada no local é tratada. Segundo a Assessoria de Comunicação da Companhia, o lago artificial apresenta fissuras. Para assegurar que ele não seque e que os frequentadores tenham sempre uma bela paisagem para admirar, a Copasa abastece o local, como afirma a superintendente da Unidade de Negócio Oeste (UNOE), Cristiane Carneiro: “o volume de água da Lagoa Grande oscila no decorrer do ano. Para garantir a manutenção do nível, são destinados para o local, diariamente, cerca de mil metros cúbicos de água, o que corresponde a um milhão de litros por dia”.

Ainda segundo a Copasa, a água lançada na Lagoa Grande é parte da água decantada do processo de tratamento da Estação de Tratamento de Água (ETA). Isso quer dizer que ela é captada no Rio Paranaíba e conta com a eliminação de mais de 95% da sujeira. Além disso, o local também recebe água de chuva, proveniente das redes pluviais no seu entorno. 

De acordo com a bióloga da Copasa, Lygia Corrêa, a turbidez da água se deve a vários fatores, que vão desde as causas naturais até o acúmulo de matéria orgânica em decomposição, como alimentos jogados pela população para os animais. Esses alimentos podem também liberar estabilizantes e/ou conservantes. “Essa atitude contribui com a poluição do meio ambiente e afeta a qualidade da água”, explica.

A companhia também ressaltou que não há possibilidade de o esgoto ser lançado no ponto turístico, tendo em vista a localização da tubulação destinada aos efluentes, conforme sustenta o gerente regional Saulo Bernardes: “A ETA e a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) estão localizadas em regiões distintas. Já as redes coletoras que existem no entorno da Lagoa Grande estão situadas a vários metros abaixo do nível do lago artificial”. 
 
Abastecimento da lagoa

A água começa a ser enviada para a Lagoa Grande após as 18h, período em que os reservatórios de água da Copasa estão com sua capacidade total de armazenamento. Para atender a uma população aproximada de 150 mil habitantes, Patos de Minas conta com 43 reservatórios de água tratada, que são alimentados por estações elevatórias, equipamentos responsáveis pelo bombeamento da água, para mantê-los sempre cheios. Essas unidades são automaticamente paralisadas quando os níveis dos reservatórios chegam a 100%, voltando a operar, novamente, quando registram 60% de sua capacidade de armazenamento da água. Dessa forma, o abastecimento da cidade é garantido e a disponibilização de água para a lagoa é possibilitado.
 
Meio ambiente

De acordo com Ricardo Borges, técnico químico de produção da Copasa em Patos de Minas, embora a água do lago não seja adequada para consumo humano, a Lagoa favorece o aparecimento de diferentes espécies de pássaros e aves no local. A água da lagoa pode ser enquadrada, segundo Deliberação Normativa Conjunta COPAM/CERH-MG n.º 1, de 05 de maio de 2008, na classe 4, podendo ser utilizada para navegação.

De acordo com Lygia Corrêa, a condição natural do ambiente com água, alimentos e condições adequadas para reprodução, favorece o estabelecimento de peixes, cágados, girinos, aves e microrganismos. “A manutenção dos níveis ideais de água possibilita não somente a preservação dos recursos naturais (fauna e flora) daquele ecossistema, como também a estabilidade dos próprios padrões físico-químicos da água (cor, turbidez, temperatura, pH, oxigênio dissolvido), imprescindíveis para a vida da fauna e flora local”, informou a bióloga.

Ainda de acordo com a profissional, as lagoas apresentam um importante papel na promoção da umidade do ar a partir da evaporação. Ela destaca ainda que a Lagoa Grande é uma área pública e, portanto, todos têm a responsabilidade de zelar pelo lago.

Imagens atualizado em 22/06/2020 • 19 fotos

Autor: Farley Rocha Postado em 22/06/2020
Compartilhe:

28 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes, fake news ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve-se ter ciência de que poderá ser responsabilizado cível ou criminalmente!

Os comentários que receberem 100 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • weltinho | 1 mês, 1 semana atrás

    FICO AQUI PENSANDO COMO QUE UM ARGUMENTO PODE TENTAR ENCOBRIR UMA VERDADE. É CLARO QUE O RESPONSÁVEL POR ESSA DEGRADAÇÃO É A COPASA . MAIS E AI VAI CONTINUAR DEGRADANDO E É ISSO MESMO. TEM QUE LIMPAR TIRAR A SUJEIRAS ANTES QUE ACONTEÇA O QUE ACONTECEU A POUCO TEMPO ATRAS E RÁPIDO O POVO TEM PRESSA. ANTES QUE FIQUE NA MESMA SITUAÇÃO DE TEMPOS ATRAS.

    0 1 Responder

  • Eustáquio | 1 mês, 1 semana atrás

    É um absurdo essa conta de água tarifa alta, não faz nada pela cidade, quer somente nosso dinheiro, OBS:Em Patrocínio os políticas não deixa essa porcaria entrar.

    0 1 Responder

  • Crime ambiental | 1 mês, 1 semana atrás

    Para o Codema: favor checar o que a Copasa faz com a água residual proveniente da retrolavagem e limpeza do barro acumulado nos tanques de decantação. O barro decantado é retirado e devidamente tratado ou, jogam diretamente na Lagoa ou devolvem naturalmente ao Rio Paranaíba...??? Gostaria de saber uma vez que não tenho alçada para conferir!

    1 1 Responder

  • Gyojou | 1 mês, 1 semana atrás

    O correto na "minha opinião" é, ter uma unidade de tratamento a água na própria lagoa para assegurar a qualidade da água, vedar rachaduras ou quaisquer vazamentos, efetuar trocas parciais da água de tempos em tempos e equilíbrio entre flora e fauna para evitar superpopulação de peixes. Lembrem-se o parque do mocambo tem uma represa na mesma situação de abandono.

    1 1 Responder

  • Moradores Lagoinha | 1 mês, 1 semana atrás

    Alô Jose Estaquio. Vamos lembrar aqui do Parque João Luiz Redondo (Lagoinha) que esta esquecida pela prefeitura. Tomem Vergonha e limpa essa lagoooooa.

    4 1 Responder

  • Lagoense | 1 mês, 1 semana atrás

    Fato é que: Quem nasceu para ser lagoa grande, jamais será uma bela Lagoa Formosa!

    4 3 Responder

    Gabriel Tiaguim - 1 mês, 1 semana atrás

    ô roça lazarenta aquela, tem nada lá! nem corona aquilo pega kkk

    2 3

  • Pescador | 1 mês, 1 semana atrás

    O pior é nosso rio Paranaíba aq q tá respirando a custa de aparelhos ,qse morto,vergonha essa Copasa

    0 3 Responder

  • Icha | 1 mês, 1 semana atrás

    Eu fui na feira livre fazer minhas compras e uma senhora só ficava me esbarrando, aí não aguentei, dei um empurrão nela e ela me chamou de sem educação, mais aí eu tive que falar: Minha senhora, estamos no meio de pandemia, vai relá pra lá.

    16 1 Responder

    Leninha - 1 mês, 1 semana atrás

    Rsrsrsrsrs

    10 1

  • Hernesto | 1 mês, 1 semana atrás

    Como esse pessoal da copasa mente viu , qualquer idiota pode ver que o barro que esta lá vem da copasa , essa empresa esta e tentando fazer a população de idiota , porque o prefeito eles já o trata como idiota a tempos ..

    6 3 Responder

  • Leninha | 1 mês, 1 semana atrás

    Por isso o povo lá da lagoa tá cheio de corona vírus

    29 3 Responder

    É nois - 1 mês, 1 semana atrás

    Q tem a ver?

    1 13

    Leninha - 1 mês, 1 semana atrás

    E nois, cuida dos seus comentários e do seu Birinais

    9 2

carregar mais comentários