China reage a Trump e aumenta tarifas sobre produtos dos EUA

A medida, que deve entrar em vigor em 1º de junho, agrava a guerra comercial entre os dois países.

publicado em 14/05/2019,


Em resposta à mais recente taxação sobre produtos chineses anunciada pelos Estados Unidos (EUA), a  China afirmou ontem (13) que vai aumentar de 5% para 25% as tarifas sobre mais de 5 mil produtos americanos com valor equivalente a 60 bilhões de dólares e que vão de baterias a espinafre e café.

A medida, que deve entrar em vigor em 1º de junho, agrava a guerra comercial entre os dois países. Uma tarifa adicional de 25% será imposta sobre mais de 2.400 produtos, incluindo gás natural liquefeito, e outra de 20% sobre cerca de mil produtos, afirmou o Ministério das Finanças chinês.

–––––––––––––––––––––––––––––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––––––––––––––––––––––––––––
Rota Pop

"O ajuste feito pela China em tarifas adicionais é um a resposta ao unilateralismo e protecionismo dos EUA. A China espera que os EUA voltem para o caminho correto do comércio bilateral", disse o ministério.

O porta-voz do Ministério do Exterior chinês, Geng Shuang, afirmou que "a China jamais se renderá a pressão externa".

Na última sexta-feira, o presidente americano, Donald Trump, elevou para 25% as taxas alfandegárias sobre o equivalente a 200 bilhões de dólares de bens importados da China, atingindo mais de 5 mil itens. Trump argumentou que Pequim recuou em relação a compromissos alcançados em meses de negociações.

O presidente americano alertou via Twitter seu homólogo chinês, Xi Jinping, de que a China "será fortemente ferida" se não aceitar um novo acordo comercial. Pequim tinha "um grande acordo, quase completo e recuou", escreveu.  "A China não deveria retaliar ou só ficará pior."

O presidente insistiu que as tarifas impostas pelos EUA a milhares de produtos chineses não prejudicam os consumidores americanos. O assessor econômico da Casa Branca Larry Kudlow contradisse o presidente ao afirmar que tanto consumidores quanto empresas dos EUA arcam com as tarifas. "Ambos os lados vão pagar", disse à emissora Fox News.

Na última sexta-feira, o governo chinês já havia prometido adotar "contramedidas necessárias" em resposta à escalada do conflito comercial provocada por Trump. O cenário de incerteza provocou queda em ações mundo afora nesta segunda.

As novas tarifas devem prejudicar exportadores de ambos os países, assim como empresas europeias e asiáticas que comercializam produtos entre os EUA e a China ou fornecem componente e matérias-primas para que os bens sejam fabricados.

Fonte: Agência Brasil

Postado em 14/05/2019
Compartilhe:

1 comentários

Recentes Populares
Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Patos Hoje. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal Patos Hoje poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!

Os comentários que receberem 20 votos negativos a mais que os positivos serão retirados do Portal.

  • Pirilampo | 6 meses, 3 semanas atrás

    A China está absolutamente certa, mas se quiser quebrar mesmo os EUA, basta criar leis trabalhistas que assegurem aos chineses direitos trabalhistas, aí as fábricas norte-americanas que faturam bilhões com o trabalho escravo chinês vão à bancarrota. Mas isso eles não fazem, afinal são comunistas não é? Não sei qual o pior, o capitalismo selvagem do Trump ou a insanidade comunista Chinesa. Só sei que tudo é um c*

    0 0 Responder